Peça de ferro velho sera usada para seguro de carro novo

Seguro popular de automóvel pode ser novidade em 2016

Está aberta desde o dia 18 de dezembro, uma consulta pública visando à implementação do seguro popular de automóveis, que permite o uso de peças usadas para o conserto dos carros segurados, de acordo com a publicação no Diário Oficial da União. Os interessados têm até o dia 17 para enviar sugestões sobre o tema, proposto pela Superintendência de Seguros Privados (Susep).

O seguro popular de automóveis tem uma demanda antiga, a ideia é baratear o custo das apólices, no intuito de estimular as pessoas que atualmente andam sem proteção a segurarem seus veículos. Estimativas mostram que apenas um terço da frota de carros brasileira tem seguro.

“51,9 milhões de veículos com mais de cinco anos de uso não têm seguro. É um mercado que pode passar a ser explorado a partir do seguro popular, que deve ser realidade no ano que vem”, avalia a Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg).

Um dos pilares para a proposta do seguro popular é a lei do desmanche legal, responsável pela regularização da atividade em todo o país. De acordo com a CNseg, a Argentina tem uma lei semelhante, que diminuiu os índices de roubo e furtos em 50%, causando impacto nos preços dos seguros no país vizinho. A expectativa é que o custo das apólices no Brasil baixem por volta dos 30%.

Entre janeiro e setembro do ano passado, o mercado de seguros movimentou R$ 24,2 bilhões em prêmios no Brasil, 4,3% maior que no mesmo intervalo de 2014, segundo a Susep. A expectativa para 2016 é um avanço de 3,9%.


Nenhum banner cadastrado ainda

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien