O golpe do Bill Gates e da MS, com o Windows 10

Todos sabem como a MS e o Bill, são bonzinhos e amigos dos seus consumidores ,também conhecidos como usuários escraviários. Com a alta necessidade de que os antigos compradores de Win e Office, voltem a contribuir na caixinha da igreja MS, armaram uma arapuca aos consumidores. A novidade agora, ligada ao W10, aconteceu mais ou menos assim:

 

Na festa de avisar o mercado sobre o lançamento do Windows 10, todos os usuários do Windows 7, 8 e 8.1 – and others- , foram informados pela Microsoft , em sua grandesa e generosidade mundial, resolveu  doar o seu novo sistema operacional, WINDOWS 10, o qual poderia ser obtido até 29 de julho próximo, gratuitamente.

Pelo que se sabe, a estratégia de  oferta DISGRATIS, não vingou como a MS queria. Basicamente porque os usuários ficaram temerosos de que os anexos como o OFFICE, ficassem prisioneiros do novo sistema de aluguel anual. Assim imaginaram corretamente, depois de muita bunda ardida no mercado, que  ate aqueles que compraram e pagaram o sistema OFFICE, iriam dançar e serem obrigados a adquirir novas licenças anuais “”obrigatoriamente””. Não é que isto seja verdade, embora todos saibam e conheçam os milhares de artifícios usados e de  como as empresas de soft empurram e obrigam indiretamente os seus usuários – escraviários – a irem em direção ao que querem e  comprar uma nova licença.No caso da Microsoft, um pagamento anual, quase simbólico como um óbulo de igreja, onde o pastor recolhe ‘ oferendas generosas’, daqueles que não irão para o inferno.

Estratégia em andamento, a  medida que o prazo se aproximava do fim, e a coisa não deslanchava, a Microsoft incluiu a mudança para Windows 10 nas atualizações regulares das versões 7 e 8 e marcou-a como atualização recomendada. O resultado é o agendamento automático dessa atualização para datas que podem passar despercebidas. Ou seja, não foi dada opção para a aceitação ou não do novo sistema operacional.

A conduta da Microsoft configura prática abusiva nos termos do artigo 39 incisos I, III e VI do Código de Defesa do Consumidor, que ocorre nos casos em que o fornecedor condiciona produtos ou serviços ao fornecimento de outros produtos ou serviços, também quando há a entrega ou execução de produto/serviço sem solicitação prévia do consumidor.

A Associação de Consumidores – Proteste – notificou a Microsoft, no último dia 20, pedindo para suspender a imposição da atualização do sistema operacional para o Windows 10. Usuários relataram terem recebido diversas notificações em forma de pop-up para fazer a atualização e outros foram surpreendidos com o início do processo. Outros disseram não conseguir nem mais utilizar o equipamento se não fizessem a atualização.E houve relatos de danos ao equipamento.

Na avaliação da PROTESTE a atualização deve ser escolhida de forma consciente pelo consumidor não devendo ser imposta como está ocorrendo. Houve casos em que por algum motivo a atualização danificou o programa responsável pelo suporte básico de acesso de entrada e saída do sistema operacional (bio).

Está sendo pedido o ressarcimento dos prejuízos de quem teve danos por conta de problemas na atualização do sistema.

Até a edição desta, ainda está correndo o prazo para a empresa responder à proteste.Mas como todos sabem, estas coisas em sua maioria, só se resolvem no judiciário.AGUARDEM.


Nenhum banner cadastrado ainda

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien