Governo anuncia hoje um acordo geral com a SAMARCO

Além do inicio efetivo do processo de tentativa de recuperação das áreas afetadas e ajuda a população envolvida e prejudicada, este acordo permitirá um STOP no rio de ações judiciais contra a SAMARCO e controladores, além de permitir a retomada econômica da empresa e da região.O todo do acordo beira 20 Bilhões e um injeção inicial este ano de 2 bilhões.

Após praticamente quatro meses do terrível desastre ambiental na barragem de fundão, na empresa Samarco de Mariana (MG), o governo federal diz que anunciará nesta quarta-feira (2/03/2016 )a assinatura de um acordo com a empresa Samarco, que é controlada pela Vale e pela BHP, para a reparação geral dos danos causados pela tragédia ambiental na região e em todo o vale do Rio Doce, incluindo as cidades afetadas do espirito santo, ao o mar.
Segundo o pré divulgado pelo Palácio do Planalto, o aporte ao acordo sera inicialmente da ordem de R$ 4,4 bilhões , aplicáveis nos próximos três anos pela mineradora.Imediatamente ou seja, neste ano, serão aplicados R$ 2 bilhões nas reparações, compensações e inicio do plano de recuperação da bacia, já neste ano.
Dentro dos termos indicados, tem-se a previsão inicial de que, pelos próximos 15 anos, a empresa deverá investir e desembolsar uma media anual de R$ 1,2 bilhão/ano, sendo que este valor poderá sofrer revisões e ser elevado dependendo da necessidade  e do custo das propostas e iniciativas que forem aprovadas durante este  longo período de recuperação.

Calculou-se por estimativa, que o total a ser investido e pago até 2030, estaria na casa de aproximadamente R$ 18,8 bilhões de reais.Este valor é 10% inferior aos R$ 20 bilhões previstos inicialmente pelo próprio governo federal.

No processo de recuperação, além do aportes financeiros, o governo federal anunciará medidas de natureza ambiental e social, tanto reparatórias como compensatórias, que terão de ser realizadas pela mineradora, como a recuperação de rios de toda a bacia, o reflorestamento de mata  ribeirinha nativa, e recuperação do litoral marinho afetado.

Dentro de aspectos de curto prazo, a prioridade será em programas socioeconômicos, como a construção de moradias para famílias que ficaram desabrigadas pelo acidente.

A ideia de um acordo para recuperação ambiental foi proposta pelo governo federal e por Minas Gerais e Espírito Santo para evitar que a enxurrada de ações judiciais que estão e que entrariam em juizo, fazendo com que as mesmas freassem o processo de recuperação com as medidas que a Samarco devera cumprir para executar o plano de compensação.

Pelo lado da arrecadação de impostos, o compromisso também é interessante para a mineradora, porque permite que ela planeje e retome as atividades, suspensas desde o ano passado.Caso continuasse paralisada, a empresa deixaria quebrados mais de 20 municípios no Vale do Rio Doce e no seu entorno.


Nenhum banner cadastrado ainda

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien