EDITORIAL – Adeus Bell’ágio’!

O MP corta a mamata e põe abaixo o alto ‘A PREÇO’ do Bell ágio.

Se continuar este mar de boas noticias, colocando Nova Lima de novo na lista de limpeza geral em Minas e no país , haverá mais que só luz no fim do túnel: teremos chance de futuro melhor!

 

O MP, em ação didatica e exemplar, ao contrário da regra vigente em Nova Lima, onde  tanto o sobrepreço como o alto apreço a qualquer preço, desde que na conta, era o que  determinava  a rapidez da canetada aprovadora, desta vez fez valer o bom senso e aplicação da lei em sua sabedoria e pleno alcance.Esta de parabéns por cumprir bem, seu dever e missão.

Ontem, por sugestão do MP, a SEMAD resolveu suspender a autorização ambiental simples, para o imaginado muito lucrativo projeto de poucos amigos do rei e dos aventureiros de sempre e os de plantão. Desde o inicio da abertura do infeliz loteamento BELLAGIO, tocado ao velho aplicar dos medievais métodos tratorísticos de  rasga terra e deixa sangrando a natureza,  todos podiam ver a céu aberto, do lado esquerdo da MG30- sentido Nova Lima,  o voraz avanço da lamina sanguinária deste Capanema de tantas aventuras infelizes, pirata navegante antigo nas tão estupradas  terras das Minas Gerais.

CONHEÇA A HISTORIA DO CASINHO DE NOVA LIMA. LEIA TAMBÉM: http://jornalportalsul.com.br/bellagio-o-casinho-do-preco-do-apreco-em-nova-lima/

Pensando melhor e mais no presente do que nos presentes de sempre, a  Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) suspendeu a autorização ambiental para o loteamento Bellagio, em Nova Lima, na região metropolitana.Como hoje não são bons os tempos para brigas com Procuradorias e Promotorias de toda e qualquer instancia e espécie – nunca foi, só que agora a ideia parece que esta efetivada – , a pasta, seguiu a recomendação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que corretamente viu e entendeu que um empreendimento desta monta, precisa passar por um licenciamento ambiental completo,- de cabo ao rabo – fato que não ocorreu.

Não precisa nem ser mal formado em pedreiristica engenharia de curso on-line a distância, para ver que o somatório de autorizações já dadas pelos CASINHOS&$CIA de Nova Lima, não atendem ao menor dos quesitos de bom senso de sustentabilidade ambiental. Pior, que o alcance da infeliz e ilegal autorização dada,é que ela fere entre muitas, de cara e antemão, pelo menos três velhas impossibildades legais, a saber:

1-A  Serra do Curral, é uma serra TOMBADA.Não em um sua só metade horizontina. Pois a outra  metade  Lima, esta dentro. A não ser que mudemos o conceito geográfico de serra e montanha. E passemos a considerar a face como o todo. Uma espécie de tentativa da impossivel revogação gravitacional, na determinação física do conceito geográfico.

O MM juiz que tem em mãos o processo de tombamento da serra do curral,do qual o IEPHA e guardião ( e depositário: fiel?? )  poderia nos fazer um bem social e mandar filosafar, pensar e meditar em uma das celas a sua disposição, num estilo MORO de Mea Culpa, os infelizes empreendedores que acham que só a metade da Serra é tombada.

2º-Como nem grandes grandes barragens não seguram nem pouca besteira,- vejam o exemplo Samarco e o presente caso -, temos em adensamento ao desfavor da empreitada, que existe uma LEI EM VIGOR, que proíbe construções de qualquer tipo ou motivo, em qualquer lugar deste Brasil  de espertalhões, cuja declividade do terreno base, ultrapasse 45º graus de inclinação natural. Só isto, fecharia mineiramente a questão sem muito ‘trololó e conversê’.

3º-Mas  para fechar o assunto com chave de ouro,as leis de proteção ao Bioma da Mata atlântica e suas remanescentes, bem como as leis de proteção a reserva do Jambreiro e os necessários corredores ambientais que a interligam ao Bioma Apa Sul, liquidam o assunto em  cheque mate pastor de 3 lances.

Este tópico de hoje foi pedra cantada por este hebdomadaire digital , muito  tempo antes( 1 ano antes)  de ocorrer o fato quase consumado.Este filho  espurio ‘ Bellagio’ , fruto da união  entre os goela aberta da administração Limense, ‘executais e camerais’,  e o mentalmente anêmico empreendedor Capanemico.Denunciamos o combinêmo , ainda na época de quando dona Mala aprovadora  andava só em promessas pelos corredores da PMNL. Nossa grita de então, em nada adiantou.Tanto que em  seguida, desandou no regozijo geral do ALTO A PREÇO do homem dos casinhos, que endossava no jamegão garrafal , o pedido escancarado de “vamos rapidinho que quero  o que é  meu”.E em seguida, tristeza nossa, a lamina tratoral comeu nas nossas montanhas amadas.O resultado da idiotice aliada a sandice  de empreendedorismo corrupto , esta lá no alto da serra do curral.

O loteamento segundo imagina-se, que fica entre o Vale dos Cristais e a lateral do Vale do Sereno  e teria potencial para construção de 25 torres . Ele conseguiu autorização ambiental sem passar por licenciamento, por ter sido enquadrado em uma categoria de pequeno impacto, ( como se fosse uma nova cidade inserida em Nova Lima com cerca de mil apartamentos e 5000 novos cagantes no Jambreiro e no ribeirão Macacos ). Não falemos do trafego , porque a mobilidade e o transporte serão problemas para a estupida PMNL se virar arcar. Os promotores , alguns ainda com bom senso, afirmam que a classificação não considerou o potencial de adensamento do novo bairro nem as características ambientais da região.Verdade verdadeira que não precisava chegar onde chegou para ser barrada.Com a destruição de enorme área de Bioma de remanescentes de Mata Atlântica.

Caracterizando a irresponsabilidade empreendedoristica do pirata de plantão, de quem acha que o ALTO A PREÇO pago porventura já trazia embutido os riscos futuros de infra estrutura e meio ambiente desgraçado,  a Capanema Gouvêa Empreendimentos, diz abertamente que a permissão já concedida é apenas para o – ilegal- loteamento e que novas autorizações ( claro que suscetíveis de novos ALTOS A PREÇO, dependendo do pretor de plantão) seriam buscadas na fase de construção.  Na semana passada, talvez pensando conseguir chantagear o MP, o empreendedor havia informado ameaçadoramente aos 4 ventos de navegantes passantes, que se a obra fosse paralisada neste momento aconteceriam deslizamentos e erosões.

Que poderíamos dizer diante desta perigosa e verdadeira desdita auto colocada no colo do senhor empreendedor? Lhanamente, mesmo que acreditemos imerecido, – por caridade – o povo sugere refazer e desfazer o possível, proteger o máximo, contratar equipe de reproteção rapidinho, porque  o pepino é grosso.E dizem os entendidos que o problema de pepino grosso e´ que é danado de ardido e dolorido para resolver, seja para agasalhar ou engolir. Mire-se no exemplo da colega Samarco, que sujou uns riozinhos e vai pagar caro. Pois se poluir e danificar mais o MEIO AMBIENTE da serra do curral e Jambreiro, com material oriundo de suas atividades loteadoras, a má noticia é que multa vai comer. A fila é grande:IEF, FLORESTAL, IBAMA, SEMA, SEMAD eee o pior. Com um MP – MG mais o colega Federal,  sedentos de trabalho e precisados de manter fama e glória,( medo evita sangue) , eu  trabalharia muito e dormiria com a bunda amarrada em banco de pedra. E pelo sim pelo não,  dar uma rezada na igreja de sua preferência ( a nova do Belve, vizinha lá, é boa). Aproveitar e fazer umas promessas pesadas, pois o advogado vai ser caro.  (se sobrar dele, adiante esmola que o santo gosta  e o padre abençoa).No mais é colocar tudo nas mãos de meu DEUS. Porque se cair nas mãos de Myrna, esquece, pois nem reza brava de encruzilhada resolve coisa CONTRA a lei : o inferno virá rápido e quente : antecipado. E será aqui mesmo, com alto apreço, claro! Duvidas, pergunta pra Odebrecht.


Nenhum banner cadastrado ainda

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien