Circos em MG, agora só animais Humanos.


Minas proíbe uso de animais (subentenda-se não humanos) em espetáculos circenses.

A pena para quem descumprir a determinação, além da apreensão do animal, é o pagamento de mais de R$ 26 mil

 

Embora tardia, veio e foi sancionada uma corretíssima lei que proíbe o uso de animais em espetáculos circenses em Minas Gerais. Seu texto, embora não seja bem explicito em correto português, pois da forma que esta, impede também os animais humanos que somos, de praticar a arte  circense e exibi-la, permite contornar a falha e ficar bem só no espirito da coisa – lei-.

Comentou um afamado ativista pro direito do animais: “ Uma pena que não se estendeu o texto e proibiu-se a existência de unidades zoológicas para visitação e divertimento. Zoológicos so deveriam servir a assistência a saúde e estudos da fauna. A medida, de autoria do deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT) que merece parabéns da coletividade, foi publicada no Diário Oficial de Minas Gerais nesse sábado (18) e tramitava na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) desde o ano passado.

A nova lei, denominada Lei 21.159/14, proíbe a apresentação, a manutenção e a utilização de quaisquer animais, sejam eles selvagens ou domésticos, nativos ou exóticos, em espetáculos circenses. O descumprimento da lei acarreta em penalidades como a apreensão do animal e multa de 10 mil Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs).

Em 2014, uma Ufemg equivale a R$ 2,6382  totalizando a multa prevista no valor de R$ 26.382,00.


Nenhum banner cadastrado ainda

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien