Cães: As origens do seu melhor amigo

Estudo descobre que os cães são os melhores amigos do homem desde os primórdios da civilização

 

A relação entre cães e humanos vem de longa data. Arqueólogos combinaram dados arqueológicos com novos estudos de material genético que indicam que de fato o cão é o melhor amigo do homem: ele teria sido domesticado não apenas uma vez, mas duas vezes em regiões distintas do planeta.

O estudo foi realizado pela equipe chefiada por Laurent A. F. Frantz e Greger Larson, da Universidade Oxford, Reino Unido, e Daniel G. Bradley, do Trinity College Dublin, Irlanda, e está publicado na edição de hoje da revista científica americana “Science”.

O estudo comparou DNA de cães europeus que viveram entre 14.000 a 3.000 anos atrás, e decifrou o genoma de um deles em particular, que viveu em Newgrange, um sítio arqueológico na Irlanda, há 4.800 anos.

A comparação também envolveu genomas de lobos, o ancestral dos cães, e cachorros modernos, tanto da Eurásia ocidental como do leste da Ásia. O material genético de 605 cães modernos de 48 raças de todo o mundo foi vasculhado.

Os resultados indicaram a possibilidade de duas domesticações caninas na pré-história.

O estudo apresenta a hipótese de que “duas populações de lobos geneticamente diferenciados e potencialmente extintos na Eurásia do leste e do oeste podem ter sido independentemente domesticados antes do advento da agricultura assentada. A população oriental então se dispersou para oeste junto com os humanos em algum momento entre 6.400 a 14.000 anos atrás, para a Europa Ocidental, onde eles parcialmente substituíram uma população paleolítica de cães indígena”, escrevem os autores na “Science”.

Na Alemanha foram achados fósseis de cão que podem ter 16.000 anos, indicando que já se domesticava o animal na Europa antes da chegada de seus primos asiáticos.


Nenhum banner cadastrado ainda

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien