A ” Casa de MÃE JOANA LIMA 1 ”


O nome não pode ser mais adequado ou conveniente conforme definições históricas, pois desde a fundação da’  Vila Nova dos Lima’, até hoje , na MG 30 ou em qualquer outro lugar do município LIMA ( NOVO OU VELHO) , antes ou após a chegada de  Saint John Minning,  qualquer um faz o que quer quando e como quer. Conforme respeitosas e históricas definições expostas ao final deste artigo ( não deixe de se aculturar mais sr leitor : leia a CIN ao final deste .E seja um ignorante altamente conhecedor de culturas inutéis).Também durante e ao final da aprazivel leitura, não deixem de ver a verdade das imagens expostas, para que nos do JPS ,não tomemos a pecha ou alcunha  de mentirosos sensacionalistas da imprensa periférica e marronzinha, nós os famosos e degenerados PIGs. De sempre.

 

As estatais, estaduais ou federais, sabe-se de norte a sul – só abrir qualquer jornal – , que sempre foram as guardiãs da imoralidade e casa nativa de corruPTos . Eles  chegam e mandam ver. Sabem de antemão, que tudo pode ser feito e que nada impedirá. Aqui na casa de Mãe JOANA Lima, não é diferente. Alguns preferem ao invés do corriqueiro e chulo ‘ Casa de Mãe Joana Lima’ , um  designativo mais atualizado, novo,  de casa de  Mãe Joana Cassinha, com som e pertinência maior. Mas como é designativo temporal, com a certeza de sol que nasce e morre sem falhar  faz tempo, outras virão. Preferível então o genérico e tradicional padrão nomeativo da casa dos poderosos de plantão.

Voltando ao foco da novela de fato real, hoje teremos o ” case “ da semana da casa de MÃE JOANA LIMA: este episódio é  dedicado com amor e carinho à CEMIG;

A história começa na MG – 30 em frente a entrada do Vila Castela e outros condomínios do Vale da Mutuca. Onde segundo se lê  e diz a placa afixada no local, a área devia ser protegida pelo PROMUTUCA. O movimento sério e notável em ações pro meio ambiente local, parece que nem tanto pelas coisas não diretamente ligadas ao verde nativo. Quem tem cuidado da região nos aspectos conexos , em seu todo e em seu pouco, são os não moradores, uma especie de resposta aos PRONEMLIGAPRAMUTUCA. Movimento antigo e sempre muito atuante.

Continuando, ai na semana que agora se finda, iniciada em 01 de dezembro do ano 2014 de NSJC,  vem a celebre CEMIG , esta que até o atualmente, atende mal os consumidores e os deixa sem luz por dias, através de sua contratada Construtora BASE,  resolveu fazer uma obrinha de seu interesse.

No local referido, esta verdadeira ‘obra prima de  obra’ que poderia ser também alcunhada  “projeto capa praça “ foi gerida pelo exímio cabeça de concreto com capacete BRANCO, que espera-se seja o engenheiro responsável como nos disse. Também  nos disse chamar-se Marcio. Gentil e educado, explica-nos que a buraqueira e destruição da praça, deve-se ao relevante motivo da passagem de uma linha subterrânea de alta tensão, que vai abastecer empreiteirísticos empreendimentos no Sereno Vale, notadamente os tipo: É PÔ.

 

Como mostram as fotos, chegaram, estacionaram seus carros (gramado de praça serve é pra isto segundo normas de obras CEMIG ) em cima da grama da praça, descarregaram as maquinas pesadas , – vejam fotos do piso para pedestres esmagado e enterrado – e puseram mãos a obra.

 

Em seguida  (Eng,encarregados,trabalhadores, fiscais e etcs, ) e mandaram a potente  retroescavadeira, cavar fundo e mandar ver.Como mostram as fotos abaixo,tudo furado a contento para passar a cabaiada.

Obra rápida como convém a pepino de baixo custo e alto lucro, sem placa de CREA, identificação de obra, de DER, custos e etcs legais,começou segunda e acabou no sábado.Se chover, quase nem rastro de pneu fica.

 

 

Como mostra a foto, o ‘cagador de segurança dos operários’, item obrigatório e exigido pelo patrulha do MT para evitar que todos cagem no mato, como gostam e o fazem , eles e a especie humana, sustentabilizadamente desde sempre,  ainda esta lá. Estrategicamente posicionado, numa imagem semiotica, como se tentasse exercitar ‘ad infinutum’ a sua função de receber, armazenar e sumir com merdas, bem debaixo da placa renomeativa da rodovia, dando a impressão de que quisesse engolir a malfadada idéia.

 

A prefeitura de Nova Lima, para você que não sabe de nada meu caro contribuinte,  já gastou nos últimos 5 anos, uns 200 a 300 mil com o local, segundo nos confidenciaram amigos empreiteiros um pouco mais honestos que a normalmente desonesta claque dos empreiteirísticos de PMs. Claro que tudo feito legal, pois todo mundo é ganante mas não muito ‘bestante’.Tudo bem feito na base da concorrência acirrada ‘ pré- tratada’,- algumas até em pregão eletrônico ( do tipo não fica na parede em deixa  marca),  com os seus  preços pouco reais,  de cobertura do ‘COMBINÊMO’. Mais precisamente, um ano atrás, foram gastos 100 mil com um ‘reformita’, pagos a uma das amigas do rol de boas eleitoras legalmente contribuintes ( quem pensa que só existem grandes buracos tipo PETROLÃO pelo Brasil afora esta enganadissimo. Na casa de Mãe JOANA LIMA, tem até  PRAÇÃO. Que disputa com louvor e palmo a palmo,o titulo de mor ,  com as obras federais e petrolais – claro que não em tudo: só nas de preços superfaturados).

 

 

E assim caminhando a surrupiosidade da casa de Mãe Joana Lima, foram colocando grama, plantinhas, florzinhas e adereços gerais. E as ‘FATURAS’ da continha inexistente, paga como sempre com os nossos muitos mil  suados  IPTUS, que foram –claro que em parte- generosa pro saco dos empreiteiros ajardinadores. A placa do novo nome da Rodovia conhecida como MG 30, num puxa saquismo geral pró-radio Itatiaia, renomeada Praça da Rod Januário Carneiro,( que todo mundo só conheceu e conhece como MG30 ), só foi colocada no depois.Não se sabe quanto custou nem quem pagou.Desconfia-se que os de sempre: VOCCCEEEEE!!!

Antes de passarmos para o próximo capitulo (2 ) desta novela aqui estreante  e que promete ser longa, vibrante e inebriante, com  seus desdobramentos,conexões e muitos capítulos  da – CASA DE MÃE JOANA LIMA – ,

fica no ar a pergunta que não quer se calar:

A CEMIG reconstruirá e reajardinará a praça destruída, deixando-a melhor ou pelo menos igual? Ou como de costume,  fará cara de paisagem e ligara o botão do ’ FDA-SE’. E transferirá a ROLLA financeira para os contribuintes LIMENSES e o lucro pro bolso e caixinha obrigado, como sempre.

Fica aberta neste espaço do jornal , a palavra e direito de resposta a todos os envolvidos ou que se considerem, já que aqui os compulsórios pagantes ”CONTRIBUINTES”, já estão citados e só indignados, por enquanto. Inclusos nesta lista aberta a todos,  claro, o(s) nosso(s) bem pagos funcionários publicos, começando pelo secretário das poucas  obras da PMNL, ou ainda os oficiais cuidadores do patrimônio público da comarca, designados no MP.

PS – Nota da edição – O MPE/MPF, TÊEM NESTE VEICULO DE MÍDIA, PAGINA ABERTA E A DISPOSIÇÃO, -(VEJA ex no LINK-http://jornalportalsul.com.br/resposta-do-mp-ao-trecho-da-reportagem-relativa-a-etes-do-vale-dos-cristais-em-nova-lima/)COM DIREITO A CHAMADA DE CAPA, DESDE SEU INICIO DE VIDA QUANDO AINDA ERA  UM SIMPLES TABLOIDE  ‘HEBDOMADAIRE’. CONTINUA TABLOIDE MAS DIÁRIO.

 

FEBEAPÁ/ CIN

 Cultura inútil também é cultura.

Portanto, saiba que a expressão CASA DE MÃE JOANA, é mais antiga que voce caro leitor.E deriva de:

Ensina-nos o notável Câmara Cascudo, que a expressão se deve a Joana I de Nápoles, que viveu na Idade Média entre 1326 e 1382 e foi rainha de Nápoles e condessa de Provença. Teve uma vida atribulada e em 1346passou a residir em Avinhão, na França, segundo alguns autores por ter se envolvido em uma conspiração em Nápoles de que resultou a morte de seu marido André, segundo outros por ter sido exilada pela Igreja por causa de sua vida desregrada e permissiva.

Em 1347, aos 21 anos, em um ato de alta sabedoria, profícua sacanagem e alta lucratividade,a rainha Joana de Napoles, regulamentou os bordéis da cidade onde vivia refugiada. Uma das normas dizia: “O lugar terá uma porta por onde todos possam entrar.” Transposta depois para Portugal, a expressão paço-da-mãe-joana virou sinônimo de prostíbulo, ou casa de putas.

Trazida para o Brasil, o termo paço, por não ser da linguagem popular, foi substituído por casa e Casa-da-mãe-Joana .E serviu, por extensão, para indicar o lugar ou situação em que cada um faz o que quer, onde imperam a desordem e a desorganização. Uma variante popular embora mixta de chula, e a expressão  Cu-da-mãe-Joana, quando se quer dar a ideia de desorganização geral, total :de tudo e de todos.

Este termo quer dizer também que tal casa não possui janela nem porta, onde todos entram e saem sem pedir licença,imperando, portanto indisciplina, desrespeito, ou seja uma putaria generalizada, dentre outros.Como na presente novela que é uma obra de ficção. onde qualquer parecencia será mera coincidência,aqui se transforma em realidade fantástica.

NOTA DE  EDIÇÃO

***FEBEAPÁ – FESTIVAL DE BESTEIRAS QUE ASSOLA O PAIS –Termo criado por Stanislau Ponte Preta.

**CIN- Cultura inútil – Termo genérico de uso corriqueiro- short form -com abreviatura criada por este EDITOR

 

 


Nenhum banner cadastrado ainda

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien